Adoção de novas placas de veículos é adiada para 2017

Para implantar o novo modelo, no padrão Mercosul, será preciso alterar sistemas de informática e aumentar controles



O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiou em um ano a adoção do novo modelo de placa veícular comum a todos os países do Mercosul. Em vez de 2016, a nova placa só começará a ser usada em 1º de janeiro de 2017. Essa obrigatoriedade, contudo, se dará apenas para os veículos novos e para aqueles transferidos de município e com troca de categoria.

A alteração no calendário foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (30) e teria sido motivada por questões técnicas. Para a implantação do novo modelo ainda estão pendentes mudanças no sistema de informática e nos controles de segurança na fabricação das placas.

Atualmente, as placas de identificação veicular são produzidas livremente e sem qualquer controle na sua forma semiacabada. Depois, são vendidas para pequenas e médias empresas credenciadas pelos Detrans, que estampam e pintam a numeração alfanumérica.

As placas semiacabadas do Mercosul serão fabricadas por empresas credenciadas e integradas ao Denatran. Estas empresas serão responsáveis por controlar sistemicamente o uso de cada chapa.


 

COMO SERÁ A NOVA PLACA

O novo padrão será obrigatório em todos os emplacamentos de automóveis, motocicletas, caminhões e ônibus zero-quilômetro.

Veículos transferidos de município ou com troca de categoria também precisarão fazer a mudança. Em todos os outros casos, a adoção da nova placa será facultativo.

Pela primeira vez, os países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela) adotarão licenças em padrão unificado.

O novo modelo terá quatro letras e três algarismos estampados em chapa de alúmínio. É diferente da placa brasileira atual (de três letras e quatro algarismos).

Os algarismos e letras serão distribuídos de forma aleatória o que, segundo o Denatran, permitirá mais de 450 milhões de combinações, contra as pouco mais de 175 milhões do atual modelo brasileiro. A nova placa terá as mesmas medidas utilizadas hoje no Brasil, ou seja 40cm de comprimento por 13cm de largura.

O fundo será sempre branco. A cor das letras é que vai variar de acordo com a categoria do veículo- Divulgação

O fundo será branco e haverá uma tarja azul na parte superior. Lá estarão o emblema do Mercosul e a bandeira e o nome do país do veículo.

No canto direito da parte branca, estarão as bandeiras do estado e o brasão da cidade onde o carro está registrado.

O fundo será sempre branco. Já a cor de letras e números muda de acordo com a categoria do veículo: preta para os carros particulares e vermelha para táxis, veículos comerciais e de aprendizagem.

Serão, ainda, azul para os carros oficiais, e dourada para carros diplomáticos e consulares, verde para veículos especiais (teste de fabricantes, por exemplo) e na cor prata para carros de coleção.

No Brasil, a placa terá uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional baseado na identificação do fabricante, na data de fabricação e no número serial da placa.

A intenção é que, no futuro, exista uma integração entre os bancos de dados de veículos do Mercosul.

Nada foi dito ainda a respeito do custo desta troca.

 

 

 


Categoria: Notícia

Publicado em:

© 1996-2018 Grupo Forster - Todos os direitos reservados! - Administradora e Corretora de Seguros - é mais SEGURO na FORSTER.

by Redbit