Benefícios como uma vantagem competitiva

A retenção de talentos, principalmente entre as gerações mais jovens, é um dos principais desafios dos RHs, que precisam buscar formas alternativas para aumentar os índices de satisfação entre os colaboradores. Segundo pesquisa global sobre tendências de benefícios realizada pela MetLife, a principal razão para 80% dos empregadores brasileiros oferecerem benefícios é "retenção de funcionários". No Brasil, a legislação não prevê a ampla oferta de benefícios obrigatórios e fica a critério de cada companhia ou categoria negociar o melhor pacote para seus colaboradores.

A maioria das multinacionais enxerga a cesta de benefícios como uma poderosa ferramenta para atrair e, principalmente, manter os talentos na empresa. Para que isso aconteça, a oferta desses produtos deve ser mais vantajosa do que a oferecida pelos concorrentes não só do ponto de vista financeiro, mas também do social. Uma pesquisa da MetLife apontou que o plano de saúde e a assistência odontológica continuam sendo os benefícios mais desejados pelos brasileiros - 84% e 63% dos entrevistados, respectivamente, valorizam esses auxílios. O interesse pelo seguro de vida também cresceu: 60% dos pesquisados afirmaram que estão avaliando a necessidade de contratar ou ampliar a sua apólice.

A oferta de auxílios diferenciados, não obrigatórios por lei, é valorizada pelos brasileiros, porém pode onerar as organizações. Uma alternativa para esse impasse são os benefícios voluntários, em que a negociação é feita com o empregador, mas a decisão de compra e o pagamento são feitos integralmente pelo beneficiário.

Outra maneira de atender aos desejos dos funcionários é a coparticipação, prática usual em planos de previdência complementar. Nesta modalidade, a contribuição mensal para o fundo é dividida entre empresa e colaborador e há um prazo mínimo para o resgate das aplicações. Por meio dessa prática, a empresa auxilia o colaborador a planejar sua aposentadoria e, ao mesmo tempo, incentiva que o profissional permaneça por mais tempo na organização, já que, em caso de desligamento, o funcionário pode perder parte das contribuições realizadas pela companhia.

Além do apoio financeiro, os brasileiros valorizam benefícios imateriais, como flexibilização da jornada de trabalho e o home office. Embora as formas alternativas de trabalho ainda sejam pouco adotadas por aqui, elas se mostram como tendência global e incluem vantagens como convênios com academias de ginástica, clubes e salões de beleza. As iniciativas ligadas ao bem-estar e saúde aumentam os índices de satisfação e lealdade dos funcionários de ambos os sexos - o que melhora a produtividade e diminui o turnover. Entre os homens, a licença paternidade estendida e flexibilidade do horário de trabalho são diferenciais na hora de escolher uma vaga de trabalho. Para mulheres, opções ligadas à maternidade como berçário no próprio escritório e auxílio-creche despertam interesse.


Categoria: Notícia

Publicado em:

© 1996-2018 Grupo Forster - Todos os direitos reservados! - Administradora e Corretora de Seguros - é mais SEGURO na FORSTER.

by Redbit