D-Tiss traz mais transparência para a Saúde Suplementar

Médica, Nomeação, Médico

 

São Paulo tem o maior número de beneficiários e operadoras de planos de saúde do país.

Nos últimos 12 meses terminados em junho de 2016 foram realizados mais de 16,3 milhões de procedimentos hospitalares. Esse resultado referente ao estado faz parte de um levantamento preliminar realizado pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), que considerou o conjunto de 283 operadoras de planos médico hospitalares cujas informações de eventos de atenção à saúde foram informados na Troca de Informações na Saúde Suplementar (Tiss).

No total, 2,5 milhões de beneficiários realizaram em média 7,3 procedimentos per capita ao ano. Beneficiários com 80 anos ou mais de idade realizaram mais de 2,8 milhões de procedimentos hospitalares, o que corresponde a 16,9% do total e equivale a uma taxa de 11,8 procedimentos per capita ao ano. Cabe destacar que apenas dez operadoras foram responsáveis pela realização de 11,8 milhões ou 72,5% dos procedimentos realizados no período. As mulheres apresentam maior participação na utilização dos serviços hospitalares, 52,4% do total.


De acordo com o levantamento, entre os procedimentos mais realizados por esse conjunto de beneficiários, estão cesarianas, endoscopias, exames de ressonância e tomografias. Estes e outros dados já estão disponibilizados e podem ser consultados por meio do D-Tiss, ferramenta da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que traz informações recebidas através da Tiss. Com a consulta ao D-Tiss é possível visualizar a quantidade e o valor médio praticado em procedimentos ambulatoriais (médicos, laboratórios, clínicas) e a quantidade dos procedimentos realizados em ambiente hospitalar dos estabelecimentos que prestam serviço às operadoras de planos de saúde. Atualmente, quase três mil procedimentos realizados na saúde suplementar estão disponíveis para consulta no D‐Tiss. O período inicial dos dados compreende os meses de julho de 2015 a junho de 2016.


Na avaliação da presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiro Mendes, é importante que a informação esteja disponível para toda sociedade. 'Essa ferramenta viabiliza um acompanhamento mais efetivo da utilização do plano de saúde e, consequentemente, ajuda a combater o elevado número de fraudes e o desperdício no setor, que chega a 30%. A FenaSaúde continuará seus esforços para disseminar as informações que impactam a denominada inflação médica para que a população beneficiária faça escolhas cada vez mais conscientes sobre o uso dos recursos que são finitos'.


Categoria: Notícia

Publicado em:

© 1996-2018 Grupo Forster - Todos os direitos reservados! - Administradora e Corretora de Seguros - é mais SEGURO na FORSTER.

by Redbit