Fique por dentro dos termos mais usados em seguros

27/01/2014 / Fonte: InfoMoney

Prêmio, sinistro, franquia, apólice são termos bastante comuns no setor de seguros, que a maioria dos consumidores desconhece

Uma das coisas mais difíceis, quando o assunto é seguro, é entender o que significam os termos usados pelo corretor ou pela seguradora. A falta de compreensão destes termos leva muitos segurados a assinar contratos, sem saber exatamente o que estão assinando. Para ajudá-lo a entender um pouco melhor estes jargões, segue abaixo uma explicação bastante simples dos principais termos usados no mercado.

Prêmio

Ao contrário do que a maioria das pessoas imagina, o termo não se refere ao valor que você recebe, mas sim ao valor que paga para a seguradora para que esta lhe garanta o pagamento da indenização especificada no contrato. O prêmio é estipulado com base em um percentual do risco que você pretende cobrir, isto é, da importância segurada.

Através do recebimento do prêmio, a seguradora monta suas reservas de risco e obtém, através da aplicação destas reservas, recursos para cobrir suas despesas operacionais. Na maioria dos casos, quando o segurado deixa de pagar um prêmio ou simplesmente atrasa o pagamento, as seguradoras cancelam o contrato e o segurado deixa de ter direito à indenização. Entretanto, esta postura é considerada abusiva de acordo com o CDC (Código de Defesa do Consumidor) e muitas vezes a disputa termina na Justiça.

Sinistro

Um dos termos mais importantes no setor de seguros é o sinistro. O termo reflete a ocorrência do risco previsto no contrato de seguro, isto é, no caso de seguro de carro, implica no roubo do carro, ou acidente envolvendo o veículo.

O termo taxa de sinistralidade reflete o quanto a seguradora terá que pagar em indenização para cada R$ 1,00 de prêmio recebido. Portanto uma taxa de sinistralidade de 70% significa que, para cada R$ 1,00 recebido em prêmio, a seguradora gasta R$ 0,70 no pagamento de indenizações. Sempre que o sinistro ocorre, isto é, o evento que foi segurado efetivamente acontece, a seguradora faz uma perícia para verificar se o que aconteceu está de acordo com o estipulado no contrato, ou se houve fraude.

Muitos segurados reclamam da burocracia envolvida para entrar com pedido de indenização quando acontece um sinistro. Em parte, isto se deve ao alto nível de fraudes nos contratos de seguros.

É nestas horas que o segurado percebe a importância do contrato, já que a seguradora irá investigar todos os aspectos que levaram ao sinistro. Se você tiver omitido qualquer tipo de informação que aumentou a chance de ocorrência de sinistro, então é possível que acabe não recebendo sua indenização.

Sempre que ocorrer um sinistro, a primeira coisa a fazer é procurar a seguradora, caso não haja irregularidades o pagamento deverá ser recebido em até 30 dias a partir da data em que a seguradora recebeu toda a documentação necessária.

Franquia

O termo franquia reflete a parcela da indenização que fica a cargo do segurado, isto é, quanto você tem que pagar para ter direito ao recebimento da indenização. Desta forma, não é difícil entender que, quanto maior a franquia estabelecida no contrato, menor é o risco da seguradora, pois você está pagando uma parte maior da indenização, e conseqüentemente, menor deve ser o valor do prêmio que você terá que pagar.

É importante lembrar que, com exceção dos seguros de automóveis, fica a cargo do segurado atualizar o valor da indenização no caso dos seguros de bens. Esta é a única forma de você garantir que em caso de sinistro não acabará recebendo menos do que precisa para repor suas perdas.

Proposta, contrato e apólice

Na maioria das vezes estes três termos são usados como se fossem sinônimos, o que não é verdade. A proposta é o documento preenchido pelo corretor ou segurado onde se estabelecem as condições do cliente e propostas da seguradora. É muito importante ser bastante preciso na hora de prestar estas informações, pois qualquer inconsistência pode acabar dificultando o pagamento da indenização.

Já o contrato formaliza as obrigações das duas partes envolvidas, isto é, o segurado e a seguradora. Nunca deixe de guardar o contrato, pois é nele que estão detalhadas as condições em que você terá direito à indenização. Dentre as informações que fazem parte do contrato estão: nome e endereço do segurado e da seguradora, o objeto do seguro, valor do prêmio, riscos cobertos, valor da indenização, condições de pagamento da indenização etc..

Por último, a apólice é, na verdade, o documento mais importante na hora em que se contrata um seguro. Isto porque a emissão da apólice implica na aceitação da proposta e do contrato de seguro por parte da seguradora. Assim que receber a proposta, a seguradora tem 15 dias para emitir a apólice, que tem como objetivo exprimir, de forma concisa e sucinta, os principais tópicos cobertos pelo contrato.


Categoria: Notícia

Publicado em:

© 1996-2018 Grupo Forster - Todos os direitos reservados! - Administradora e Corretora de Seguros - é mais SEGURO na FORSTER.

by Redbit