Fitch retira selo de bom pagador de País

Rebaixamento dos títulos provoca forte correção dos ativos. Dólar, juros e prêmio de seguro calote disparam Uma quarta-feira de sobressaltos no plano macroeconômico afeta duramente os ativos do País, com destaque para o salto do dólar, baixa das ações e avanço no valor do seguro calote do País, após a perda do selo de bom pagador do Brasil pela Fitch- o rating do país baixou um degrau- de 'BBB-' para 'BB+'- porque a recessão mais profunda gera dificuldades fiscais, algo que, combinado às incertezas políticas, amplia o risco do governo de estabilizar a dívida.

O rebaixamento da Fitch- é a segunda importante agência de classificação de risco a retirar o grau de investimento do Brasil- provoca maior volatilidade nos mercados financeiros e amplia as saídas de recursos do País pelos fundos estrangeiros. Antes, em setembro, a Standard & Poor's havia rebaixado o País para grau especulativo e, na semana passada, a Moody's dava indicação de que seguirá as demais agências de risco.

Em razão disso, o dólar dispara- até agora já teve alta máxima de 2,35% no momento de maior estresse- seguido pelos juros futuros. Pouco depois das 14h30, o dólar registrava alta de 1,93%, cotado a R$ 3,951. Essa puxada deve-se ao fato de que muitos fundos são obrigados a vender seus ativos brasileiros quando pelo menos duas importantes agências retiram o grau de investimento do País.

Na verdade, o dólar já opera em alta firme desde o início da sessão, após o governo abrir a possibilidade de zerar sua meta fiscal para o ano que vem, ignorando pedidos do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ao comentar a perda do chamado grau de investimento, Levy disse que o assunto é sério. A seu ver, a decisão da Fitch indica que nem tudo que precisa ser feito 'está sendo feito no passo necessário'. Também foi afetado o chamado seguro calote do Brasil. O chamado CDS (Credit Default Swaps) brasileiro, que cobre risco de calote das dívidas de um emissor, avançava 14,9 pontos, logo após a notícia do rebaixamento do rating brasileiro. A Bolsa de Valores de São Paulo registrava baixa de quase 1% em seu principal indicador neste começo de tarde.


Categoria: Notícia

Publicado em:

© 1996-2018 Grupo Forster - Todos os direitos reservados! - Administradora e Corretora de Seguros - é mais SEGURO na FORSTER.

by Redbit