Vazamento de óleo diesel contamina córrego e provoca a morte de peixes

Equipes da empresa responsável pela área e da Cetesb trabalham no local. Vazamento ocorreu no sábado, na área industrial de Cubatão (SP).

 

Conheça mais sobre esse produto clicando AQUI!

 

Um vazamento de óleo diesel provocou a contaminação de um córrego e a morte de vários peixes na área industrial de Cubatão (SP). Ainda não se sabe onde o que provocou e nem onde começou o vazamento. Técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) estão no local, nesta segunda-feira (12), avaliando os danos ambientais e também as penalidades cabíveis.

De acordo com informações apuradas pelo G1, o vazamento de óleo diesel ocorreu, por volta das 19h de sábado (10), na área de tancagem da base da empresa Ipiranga, localizada no bairro Pilões, na área industrial de Cubatão. Após identificar o vazamento, a empresa acionou com a Cetesb para buscar ajuda na resolução do problema.

Segundo os técnicos da Cetesb, vazaram aproximadamente 15 metros cúbicos de óleo, que equivalem a 15 mil litros, e que atingiram um córrego localizado na frente do terminal. Equipes de emergência da própria empresa conseguiram conter o vazamento. Desde sábado a noite, técnicos da Cetesb e funcionários da empresa realizam o serviço de remoção do óleo vazado.

'Nós pedimos para a empresa realizar as medidas de rescaldo, a colocação de barreiras absorventes, a remoção de todo o óleo identificado e, com um caminhão, ordenamos que fizessem toda a sucção do efluente contaminado", explica Marcos da Silva Cipriano, gerente da unidade da Cetesb em Cubatão.

Cipriano diz que a água deste córrego atingido pelo óleo não abastece nenhuma cidade da Baixada Santista e, por isso, não há risco de contaminação dos moradores da região. Porém, segundo ele, as manchas que foram identificadas no local já sinalizam que houve um dano ao meio ambiente e ao ecossistema do local.

"Quando se fala em derivado de petróleo, como o diesel, os hidrocarbonetos trazem a alteração da qualidade da água. O aparecimento de filmes de óleo em um corpo d'água (córrego) já caracteriza uma irregularidade à legislação ambiental. Vamos avaliar os detalhes para avaliar possíveis autuações", afirma.

O pecuarista Ualton de Simone, que tem um sítio com criação de ovelhas, ao lado da empresa, conta que, após o vazamento, viu vários peixes mortos no córrego. "Ao pastorear as ovelhas, meu filho costuma cercar a área e viu os peixes mortos. Ele foi pegar um deles e melou a mão toda de combustível. Fui lá e vi o vazamento no córrego", conta.

As ovelhas do pecuarista bebem a água do córrego para se hidratarem. Por isso, desde sábado, ele precisou afastar os animais do local e também os filhos, que adoram brincar no local. Ele disse que já solicitou os relatórios da Cetesb sobre o dano ambiental e que entrará com uma ação contra a empresa.

"É um desastre ambiental. A gente preza bastante pelo meio ambiente, sempre vê a melhor forma de fazer as coisas, não cortar árvores, e cuidar de tudo. Daí, a empresa surge do nada, consegue uma licença ambientale faz isso. Quero ter acesso ao laudo. Vamos acionar a empresa na Justiça", afirma.

Na manhã desta segunda-feira, os técnicos da Cetesb continuam trabalhando na área para verificar se o trabalho de limpeza está sendo feito da forma correta, além de identificar de onde partiu o vazamento. Em nota, a Cetesb disse que monitora o local e, concluído o atendimento, será avaliado os possíveis danos ambientais e as penalidades cabíveis no caso.

Em nota, a Ipiranga informou que, ao tomar conhecimento da ocorrência, cujas causas ainda não foram identificadas, atuou prontamente conforme recomendação do órgão ambiental na remoção total dos resíduos e limpeza geral da área envolvida. A empresa reafirma que preza pela segurança e pela preservação e mitigação dos impactos ao meio ambiente em todas as suas operações.

Conheça mais sobre esse produto clicando AQUI!

 


Categoria: Notícia

Publicado em:

© 1996-2018 Grupo Forster - Todos os direitos reservados! - Administradora e Corretora de Seguros - é mais SEGURO na FORSTER.

by Redbit